top of page

Desbravadores do Infinito - RPG

Meu primeiro RPG minimalista vai pra temática Sci-Fi com elementos de ciência especulativa, onde a ideia e construir juntos histórias incríveis e definir as normas científicas e físicas que regem o universo onde se joga.




Introdução

A Terra vive uma utopia pós guerra. Todas as frontreiras foram desfeitas e uma única grande nação ergueu-se em busca de mais conhecimento. Isso possibilitou um avanço tecnológico incrível e o sonho de desbravar o universo se tornou realidade. Desenvolvemos a Hiper-velocidade, e hoje nossas naves podem singrar o espaço cada vez mais distante. Conhecemos novas raças e outros planetas habitados. Criamos uma organização interplanetária e, mapeando as galáxias próximas, fizemos amigos, mas também inimigos.

Agora os humanos atingem o Cinturão 8, tão distante da Terra que são necessários oito saltos de hiper-velocidade para chegar até ele. É tarefa da sua equipe tripular uma das naves enviadas para o Cinturão 8 e mapeá-lo, investigar os planetas e lidar com quaisquer novas raças ou eventos que possam aparecer. Para isso você e alguns amigos precisarão determinar juntos diversos aspectos da física e ciência do universo desde o funcionamento da sua nave até a psicologia e fisiologia de uma cultura alienígena recém descoberta.

Seu grupo vai estabelecer coletivamente verdades sobre a ciência desse universo e essas verdades serão distorcidas, reformuladas, e resignificadas durante sua aventura de descoberta

Criar e vencer esses desafios é o que espera vocês em Desbravadores do Infinito.


Como é o jogo?

Cada partida é uma narrativa onde os jogadores usam seu(s) personagem(ns) para elaborar postulados científicos que vão determinar aspectos importantes sobre como as coisas funcionam nesse universo.

A questão é que esses postulados se tornam tão importantes que serão eles que trarão os problemas da história e também suas soluções, pois, como sabemos, numa boa história Sci-fi, a ciência é o personagem chave e deve ser o elemento pelo qual as soluções advêm.

Cada jogador controla um ou mais tripulantes de uma nave (cujo nome eles decidem) e cada um deles tem uma função — que pode ou não seguir a lista pré-determinada no jogo — mas deve envolver responsabilidades em diversos campos da ciência como navegação espacial, engenharia mecânica, comunicações ou medicina, por exemplo.


Além disso, cada jogador cria sua personagem com nome, raça (se alienígena) e um pouco do seu mundo natal, determinando desde já aspectos que podem vir a ser importantes da sua cultura e sociedade.

Eles escolhem uma missão determinam como vão abordá-la e vão contando essa história enquanto a equipe se envolve em questões nas mais diversas esferas científicas, desde de entender uma estranha sociedade ou a biologia diferente de uma espécie em um planeta estranho, combater outras naves agressivas (ou fugir delas)


Mas e a tal da ciência especulativa ai?

Esse elemento está em tudo que é narrado no jogo. Os jogadores são livres para fazer afirmações de como as coisas funcionam. E essas afirmações se tornam postulados que fazem parte da realidade do mundo. É sugerido que se anotem os postulados para referência futura. (ou cada jogador anote os que tem a ver com a sua área de conhecimento em jogo)

Por exemplo: em uma partida de Desbravadores do Infinito os jogadores poderão dizer que sua comida não é mais cultivada ou preparada, mas é criada em uma impressora 3D que usa um fio sintético-proteico em vez de plástico. Esse conceito seria um postulado anotado e levado em consideração sempre que necessário.

E isso é importante porque em jogos futuros a nave pode ser obrigada a navegar sem energia (por algum motivo aleatório em jogo) e sem energia como eles produzirão comida, já que dependem de uma impressora 3D?


Narrativa compartilhada

Sim, Desbravadores do Infinito é um jogo de narrativa compartilhada e boa parte do manual (que pode ser impresso em uma folha A4 simples) são regras para o controle dessa narrativa para que o jogo seja legal para todos.

Protagonismo

O protagonismo vai sendo passado de jogador para jogador (o primeiro pode ser sorteado ou decidido usando qualquer método que o grupo concordar).

O protagonista da cena é quem vai contar o que está acontecendo e como — sempre sob o ponto de vista de um de seus personagens. Ele começa a narração dizendo "Venham junto" ou "deixem comigo".

Quando diz "Venham junto" ele está dizendo que qualquer jogador pode interferir na história, participar dos diálogos, postular coisas, etc... todos seguindo a regra do Sim e... explicada ali embaixo.

Quando diz "Deixem comigo" ele manda na cena todinha. Porém se ele pisar no terreno científico de responsabilidade de outro jogador este pode solicitar interferir. E quando isso acontece o jogador ativo pode aceitar dizendo "participe" ou passar a vez dizendo "agora é com você" — nesse caso o jogador que pediu a interferância passa a ser o novo protagonista..

E se o jogador não quiser passar a narrativa em momento nenhum? Há regras pra impedir isso também.

Regra do "sim e..."

Conforme a narrativa troca de mão a regra é sempre aceitar o que veio antes para você acrescentando coisas. É um "sim, e..." não um "sim, mas..." nem um "sim, entretanto...". Sua continuação precisa encaixar no "sim, e..."

Ou seja acrescente coisas, complete, não desdiga.




Mas os postulados são irrevogáveis?

Não, existem regras muito legais e específicas para gerenciar as afirmações e postulados. Uma das coisas importantes é se quem faz o postulado é ou não é o personagem responsável por aquela área cientifica. Por exemplo, se estamos falando de comunicação o oficial de rádio sempre terá precedência mesmo sobre o oficial de ciências.

Além disse há outras mecânicas como

Aprofundar

Aprimorando o postulado e colocando outros fatores importantes nele.

Ratificar

Se estiver em cena o responsável de uma área pode corrigir alguém imediatamente.

Refutar

Desdizer completamente um postulado provando o oposto ou algo diferente.

Investigar

Encontrar informações que provem algo que está equivocado ou oposto ao já postulado.

Esses quatro métodos permitem uma variação interessante no que é possível ser feito em jogo.


Acabou?


Não. Tem regras especiais para o capitão (que não é nenhum jogador). Temos regras sobre insignias (um recurso de jogo que lhe permite trabalhar a narrativa de forma mais drásticas) e uma regra de uso de dados chamada de investida (para resolver situações de conflito) que aplica variações para a regra de "sim, e..." adicionando opções como "sim, mas..." "não, e..." e "não, mas..."


Quero jogar!

Pegue sua cópia em Dungeonist: no link https://dungeonist.com/desbravadores-do-infinito/ publicado pela edita lampião o valor de venda está em R$ 3,00.


Mas se você for aluno de escola pública pode mandar mensagem solicitando que eu te envio um PDF sem custo.


Igualmente, se você é professor e deseja usar o jogo como ferramenta em sala de aula, mande também uma mensagem e eu forneço o arquivo para que você imprima.


Podem me encontrar no instagram: @vitorluciocoelho







8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page